logo

slogan

ufscar

Cadastre-se e receba as novidades sobre a Agência Inovação da UFSCar por e-mail
parceiros_top

failogopequeno

 

fortec

 

inpi

 

parceiros_bottom

Redes Sociais

face twitter youtube

Bactérias benéficas aumentam a produtividade do milho

Qui, 28 de Junho de 2018 11:45

O uso de bactérias promotoras do crescimento de plantas em gramíneas já está sendo desenvolvido por alguns grupos de pesquisa no Brasil, mas ainda há necessidade de aprofundamento e abrangência sobre outros enfoques da produção agrícola. É o que está fazendo Fabiano Gama de Sousa, coordenador do projeto Adição de inoculante com Azospirillum brasilense combinado com níveis de nitrogênio para a produção de grãos e silagem de milho, com financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

 

Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Colorado do Oeste, Sousa recebeu recursos financeiros por meio da Chamada CNPq/VALE S.A N° 05/2012 para o desenvolvimento do projeto que aponta que as bactérias benéficas à cultura do milho, como o Azospirillum brasilense, podem trazer ganhos consistentes para o agricultor sem a necessidade de grandes investimentos com fertilizantes químicos, particularmente os nitrogenados.

 

Elas também promovem o crescimento de plantas pela produção de hormônios vegetais e disponibilização de outros nutrientes como o fósforo. Segundo o professor Fabiano, essas bactérias são organismos capazes de fixar nitrogênio atmosférico (N2), ou seja, eles são capazes de transformar o nitrogênio de uma forma não disponível (N2) em uma forma disponível (amônio - NH4+).

 

Sousa ressalta que o produtor rural deve utilizar inoculante comercial com Azospirillum brasilense para aumentar a produtividade e melhorar a sanidade do milho para a produção de silagem. O uso desse produto permite reduzir o uso da adubação nitrogenada em até 50% e aumenta a rendimento da parte aérea do milho. "O inoculante é um produto que favorece a produção sustentável da cultura do milho com fabricação de alimentos com melhor qualidade para os animais. Este produto possibilita reduzir o custo de produção da cultura e tornar a sua produção com menor dependência dos adubos nitrogenados, como a uréia e o sulfato de amônio", explica o professor.

 

A relação simbiótica entre bactérias da qual faz parte o Azospirillum brasilense com as gramíneas tem favorecido a redução da utilização de fertilizantes químicos, principalmente os nitrogenados. Essas bactérias são promotoras do crescimento de plantas ao estimular a capacidade de fixação biológica do nitrogênio. Sousa explica que a adição de inoculantes com bactérias Azospirillum brasilense tem sido empregadas nas culturas do milho, trigo e arroz, substituindo parcialmente o fornecimento de nitrogênio para as plantas, diminuindo a dependência dos fertilizantes químicos, que normalmente dificultam a viabilidade econômica da produção agrícola em virtude dos altos custos. "Ademais, os agricultores familiares, geralmente descapitalizados, apresentam dificuldade em se manter na atividade agropecuária devido a carência de incentivos e de tecnologias de fácil acesso", aponta.

 

A aplicação desse produto é realizado na semeadura do milho, imergindo os produtos no inoculante por 30 minutos e colocando para secar à sombra. "Dessa forma, a aplicação desse inoculante permite o crescimento mais rápido da planta, melhorando a sua eficiência contra o ataque a insetos e fungos que promovem a redução na produção", completa Sousa.

 

O projeto foi desenvolvido como parte da dissertação de Mestrado do Professor Leandro Cecílio Matte, também do IFRO, O projeto possibilitou a capacitação a nível Stricto Sensu de um professor, que possibilitará ao profissional ministrar aulas de melhor qualidade e desenvolver projetos de pesquisa na Instituição. Além disso, a pesquisa fortaleceu a interação entre os pesquisadores do grupo de pesquisa Sistemas Integrados de Produção Agropecuária na Amazônia Ocidental, o que promove maiores possibilidades de desenvolvimento de novos projetos e formação de novos bolsistas do ensino médio e superior.

 

Atualmente, a atividade de produção agropecuária tem almejado a redução na dependência externa de insumos e produtos. A aplicação de inovação tecnológica de fácil acesso para o produtor rural, principalmente o agricultor familiar, tem sido utilizada com a finalidade de manter o homem no campo bem como de estabelecer a sustentabilidade do ambiente agrícola. Nesse contexto, o município de Colorado do Oeste, situado na região do Cone Sul do estado de Rondônia, apresenta como principais atividades a bovinocultura de leite e a produção de milho, prioritariamente por pequenos produtores. "Desse modo, a utilização de práticas agrícolas que reduzam o custo de produção tem sido estudada para serem empregadas na região", explica Fabiano.

 

Fonte: Portal CNPq

 
free poker
logo_rodape
Agência de Inovação da UFSCar - Rodovia Washington Luís, km 235 - Caixa Postal 147 CEP: 13565-905
São Carlos, SP - Brasil - Tel: (16) 3351.9040 - inovacao@ufscar.brmaps
mapa