logo

slogan

ufscar

Cadastre-se e receba as novidades sobre a Agência Inovação da UFSCar por e-mail
parceiros_top

failogopequeno

 

fortec

 

inpi

 

parceiros_bottom

Redes Sociais

face twitter youtube

RCGI recebe visita da ministra-chefe da Fazenda do Reino Unido

Qua, 18 de Abril de 2018 11:44

A visita acontece poucos dias depois do lançamento do Ano Brasil – Reino Unido de Ciência e Inovação, que ocorreu no final de março no MCTIC.



A ministra-chefe da Fazenda do Reino Unido, Elizabeth Truss, visitou na última quarta-feira (11/4) a sede do FAPESP SHELL Research Centre for Gas Innovation, na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), em São Paulo. Acompanhada por uma comitiva de cinco pessoas, incluindo a diretora geral de Comércio e Investimento para a América Latina do Consulado Geral do Reino Unido em São Paulo, Joanna Crellin, ela assistiu a uma apresentação sobre as atividades do centro, realizada por seu diretor científico, Julio Meneghini.

 

A visita aconteceu poucos dias depois do lançamento do Ano Brasil – Reino Unido de Ciência e Inovação, em cerimônia realizada no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Neste evento, o Fundo Newton, iniciativa britânica para promoção do desenvolvimento dos países por meio da ciência e tecnologia, anunciou novos investimentos em pesquisa, em diversas áreas, entre elas, mudanças climáticas.

 

No encontro do RCGI, a ministra fez várias perguntas sobre os projetos de Carbon Capture and Storage (CCS) do Centro e também ouviu breves considerações do diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Carlos Henrique de Brito Cruz, a respeito das parcerias da Fundação com o Reino Unido, e de Camila Brandão, uma das representantes da SHELL presentes no encontro.

 

Ao apresentar os objetivos do Centro, Meneghini deteve-se, no final, em alguns projetos do portfólio do RCGI, como o de armazenamento de carbono em cavernas de sal e o desenvolvimento de um separador supersônico de gases. Ele lembrou que o pré-sal é uma grande oportunidade para o Brasil, e que a quantidade de CO2 existente nos reservatórios requer soluções científicas inovadoras para a questão das emissões de gases de efeito estufa. “Ajudar a pensar e prover essas soluções é uma das metas do nosso Centro”, afirmou.

 

Uma das perguntas feitas pela ministra foi referente à viabilidade econômica dos projetos de CCS e a possibilidade de projetos inovadores, como o da estocagem de CO2 em cavernas de sal, serem aplicados em escala. “Eu diria que o Brasil é um dos poucos países no mundo em que estamos a ponto de tornar viável, economicamente, a estocagem de CO2 em cavernas de sal. Uma única caverna pode estocar 8 milhões de toneladas de CO2”, respondeu Meneghini.

 

O diretor científico do RCGI também destacou a importância do Estado de São Paulo para o País, a pujança de sua produção científica e a relevância da Universidade de São Paulo nesse contexto. “São Paulo é a maior economia entre os estados brasileiros: 35% da produção industrial do país vem daqui. Cerca de 11% do total de tributos do Estado são destinados a universidades e instituições de pesquisa. A USP, uma universidade pública, tem cerca de 6 mil docentes, quase 90 mil alunos entre graduação e pós-graduação e é responsável por um quarto da produção científica do País”, disse ele, lembrando que o Brasil ocupa hoje o 13º lugar no ranking mundial de produção científica – à frente da Holanda e da Rússia.

 

Após o encontro, a ministra e seus acompanhantes visitaram o Tanque de Provas Numérico (TPN) da Poli-USP, ciceroneados pelo professor Kazuo Nishimoto, coordenador do TPN e do programa de Abatimento de CO2 do RCGI.

 

Além de Joanna Crellin, integraram a comitiva da ministra o vice-diretor de Ciência e Inovação do Consulado Britânico em São Paulo, Rui Lopes; o consultor especial da ministra para Empreendimentos e Crescimento, Philip Duffy; o assessor de imprensa, Jason Stein; e a secretária pessoal dela Helena Bennett.

 

No encontro, o reitor da USP, Vaham Agopyan, foi representado pela vice-reitora de Pesquisa, Emma Otta. O diretor da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (AUCANI), Marcio Lobo Netto, também esteve presente, além de diversos integrantes do RCGI. A SHELL contou ainda com a participação de Karen Mascarenhas, diretora de Liderança e Recursos Humanos do RCGI; e Alexandre Breda, representante da empresa no Conselho Consultivo do RCGI.



Fonte: Acadêmica Agência de Comunicação

 
free poker
logo_rodape
Agência de Inovação da UFSCar - Rodovia Washington Luís, km 235 - Caixa Postal 147 CEP: 13565-905
São Carlos, SP - Brasil - Tel: (16) 3351.9040 - inovacao@ufscar.brmaps
mapa