logo

slogan

ufscar

Cadastre-se e receba as novidades sobre a Agência Inovação da UFSCar por e-mail
parceiros_top

failogopequeno

 

fortec

 

inpi

 

parceiros_bottom

Redes Sociais

face twitter youtube

Pesquisa brasileira em vidros tem alta visibilidade

Ter, 20 de Março de 2018 14:35

Na escola, tradicionalmente é ensinado que são três os estados da matéria: sólido, líquido e gasoso. Mais recentemente, também passou a ser considerado o plasma – estado semelhante ao gasoso, mas em que parte das partículas que compõem o material está ionizada (eletricamente carregada).

 

Quando se trata de descrever vidros, porém, nenhuma das definições clássicas parece ser adequada.

 

Em 2017, o professor do Departamento de Engenharia de Materiais (DEMa) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Edgar Dutra Zanotto propôs a existência de um estado híbrido – com características de sólido e também de líquido – que poderia ser definido como “estado vítreo” (the glassy state of matter).

 

Segundo Zanotto, o vidro não seria um sólido e sim um estado fora do equilíbrio termodinâmico (estado em que os equilíbrios térmico, químico e mecânico ocorrem simultaneamente) e não cristalino da matéria, que parece sólido em uma curta escala de tempo, mas que relaxa continuamente em direção ao estado líquido (leia mais em: http://agencia.fapesp.br/26039/).

 

Escrito em colaboração com o norte-americano John C. Mauro, atualmente professor da Pennsylvania State University, o trabalho foi publicado em junho no Journal of Non-Crystalline Solids (JNCS) – periódico mais tradicional na área de materiais vítreos e amorfos, editado pela Elsevier desde 1968.

 

O artigo figura atualmente em primeiro lugar na lista dos 25 mais “baixados” (downloaded articles) do site do JNCS. A relação é publicada pela Elsevier a cada três meses. A edição mais recente é do dia 8 de março de 2018. Ao longo de sua existência, o periódico já publicou mais de 25 mil artigos – cerca de um terço dos trabalhos submetidos. O trabalho de Zanotto concorreu com todos eles.

 

“Trata-se de um assunto extremamente polêmico e, por isso, chamou atenção de diversas publicações nacionais e internacionais dedicadas à divulgação científica. O vidro é um material extremamente complexo e ainda mal entendido”, disse Zanotto, que coordena no DEMa/UFSCar o Centro de Pesquisa, Educação e Inovação em Vidros (CeRTEV) – um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

 

Segundo o pesquisador, o conceito de “estado vítreo” representa uma grande quebra de paradigma, pois os vidros sempre foram classificados como sólidos não cristalinos ou amorfos.

 

“É um tema controverso e não sei se um dia haverá um consenso sobre isso. Mas estamos fazendo uma tentativa e o trabalho tem despertado interesse na comunidade científica”, disse.

 

Na plataforma Mendeley – outra base de dados mantida pela Elsevier – o artigo publicado no JNCS aparece com 6 mil visualizações – um número bastante expressivo, na avaliação de Zanotto, considerando que os pesquisadores ativos na área somam cerca de 3 a 5 mil em todo o mundo. No Brasil estima-se que entre 100 e 120 pesquisadores sejam ativos no tema.

 

O trabalho também figura no site do JNCS entre os artigos de destaque (Highlighted Articles) selecionados pela Elsevier.

 

Medida de visibilidade

 

A recente lista dos artigos mais baixados publicada pela Elsevier trouxe outras boas notícias para a equipe do CeRTEV. Em segundo lugar está a revisão The structure of simple phosphate glasses, cujo autor é Richard K. Brow – professor da Missouri University of Science and Technology (Estados Unidos) e membro do conselho internacional do CEPID.

 

Dois ex-alunos do CeRTEV também aparecem na relação. Em sexto lugar está o artigo Electrical conductivity of silicate glasses with tetravalent cations substituting Si, que tem como um dos autores Ervino C. Ziemath – ex-bolsista FAPESP de pós-doutorado no DEMa/UFSCar e, atualmente, professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Rio Claro.

 

Em 10° lugar está o trabalho Strain-rate sensitivity of glasses, que tem como coautor Bruno P. Rodrigues – ex-aluno de mestrado do DEMa/UFSCar e, atualmente, pós-doutorando na Austrália

 

Outro artigo em que Zanotto figura como coautor ocupa a 11ª colocação: Crystal growth and viscous flow in barium disilicate glass. Em seguida, no 12º lugar, está a revisão Bioactive glasses: Special applications outside the skeletal system, que entre os autores conta com Aldo R. Boccaccini – pesquisador da University of Erlangen-Nuremberg (Alemanha) e membro do conselho internacional do CEPID.

 

“Foi uma grata surpresa descobrir que na lista dos 12 mais baixados tem quatro trabalhos ligados ao nosso CEPID e outros dois de importantes colaboradores. Não é uma medida direta de qualidade da pesquisa, mas fornece uma avaliação indiscutível de visibilidade. Os estudos realizados no CeRTEV estão na fronteira do conhecimento e despertam interesse na comunidade internacional”, disse Zanotto.

 

Para o pesquisador o fato de dois ex-alunos estarem na lista mostra que o CEPID também tem feito um bom trabalho na formação de recursos humanos.

 

Para entender melhor o conceito de "estado vítreo" assista o vídeo disponpivel em https://www.youtube.com/watch?v=eYIWiFeKt5o.

 

Mais informações: www.vidro.ufscar.br e www.certev.ufscar.br.

 

Fonte: Portal Agência FAPESP

 
free poker
logo_rodape
Agência de Inovação da UFSCar - Rodovia Washington Luís, km 235 - Caixa Postal 147 CEP: 13565-905
São Carlos, SP - Brasil - Tel: (16) 3351.9040 - inovacao@ufscar.brmaps
mapa